A BUSCA PELO SUCESSO E A RENÚNCIA DE SI MESMO

A BUSCA PELO SUCESSO E A RENÚNCIA DE SI MESMO
Os primeiros Padres da Igreja – falo do século terceiro, mais ou menos ano 200, 300 – diziam uma palavra forte: ‘O dinheiro é o esterco do diabo’. Porque nos faz idolatrar e adoece a nossa mente com o orgulho, e nos torna maníacos de questões ociosas que nos afasta da fé e corrompe. Não se pode servir a Deus e ao dinheiro. Não dá: ou um ou outro! O que acontece com o dinheiro? O dinheiro oferece um certo bem-estar no início. Isso é bom, mas depois faz com que você se sinta um pouco importante, e chega a vaidade. Lemos isso no Salmo. Essa vaidade que não serve, mas que faz sentir uma pessoa importante: esta é a vaidade, que depois leva à soberba e ao orgulho. São três degraus: a riqueza, a vaidade e o orgulho”
A humanidade possui hoje, instrumento de incrível poder: “pode fazer desse mundo um jardim, ou reduzi-lo a um amontoado de escombros” – (Papa São João Paulo II). Infelizmente, a humanidade afastou-se de Deus e se encontra na estrada que conduz aos escombros. Tornou-se vítima do ateísmo e do materialismo. No lugar de Deus, construiu ídolos para adorar. Hoje, os novos deuses chamam-se dinheiro, prazer, orgulho, impureza, divertimento, poder, fama. Ninguém, nem a posse de algo material, pode concorrer com Deus e ocupar Seu lugar em nosso coração, não podemos adorar outros deuses além dEle, não devemos nos apaixonar pelas futilidades deste mundo. Se o verdadeiro Deus não for o centro da nossa vida, esses ídolos lançam mão sobre nós, passam a nos dominar e nos escravizam . A busca compulsiva pelo sucesso, pelo poder e pelo prazer faz com que o homem deixe de contemplar seu Criador e passe a idolatrar a si mesmo, violando com escandalosa facilidade as Leis de Deus. Neste estágio o homem, escravizado pelos novos tiranos, vive a ilusão de que é auto suficiente e se julga “dono do mundo”, e assim, orgulhoso de si e sem dignidade de vida, escolhe seguir o caminho da perdição, renunciando e desprezando Deus explicitamente. Passa a viver na sombra da morte. As coisas do mundo o seduzem tanto que ele prefere continuar vivendo suas fraquezas e limitações do que sua verdadeira liberdade com Deus. Quando o homem se vende a Satanás segundo sua própria vontade, ele deixa automaticamente de temer a Deus, ofendendo seu Criador e desrespeitando seu maior Mandamento: “Amar a Deus sobre todas as coisas” Mas diante da ira de Deus tudo estremece e treme. Os novos ídolos tendem a nos escravizar, mas é Deus quem nos garante a genuína liberdade. Ele nos livra de cairmos em tentação e dependências. Precisamos ter clareza interior sobre a quem queremos pertencer: Á Deus ou ao mundo? Quando Nosso Senhor não é o centro da nossa vida, milhares de ídolos invadem o espaço de Deus, que continua vazio. Enquanto que se deixarmos Deus existir em nós, Ele intervém a nosso favor para nos libertar dos falsos deuses e preencher o espaço vazio, colocando ordem na nossa vida. O homem sensato é aquele que teme a Deus e O ama sobre todas as coisas. “Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha” – Mt 7,25. O homem sensato é aquele que a estrutura da sua vida é construída sobre uma base sólida, que não desabará nunca. “A tática que Satanás empregou e que continua a empregar consiste em não se revelar, para que o mal que difundiu desde as origens se desenvolva por ação do próprio homem, por meio dos sistemas e das relações entre os homens, entre as classes sociais e entre as nações, para que o mal se transforme cada vez mais num pecado “estrutural” e cada vez menos se possa identificá-lo como pecado “pessoal” – (Papa São João Paulo II)
Dessa maneira, o homem se habitua a viver no pecado e numa falsa paz, levando uma vida medíocre e mundana, sob o domínio de Satanás. E mesmo diante das dificuldades e dos obstáculos que aparecem na vida da humanidade, através da dor, do sofrimento, do desânimo, da dúvida…, o homem não consegue se aproximar de Deus, porque ele não entende que a cruz faz parte dos planos de Deus para a salvação da humanidade. Sua falta de fé e de esperança o deixa fraco e sem forças para suportar o peso da cruz e muitas vezes, revoltado e com medo, ele se vira contra Deus e se vê no “fundo do poço”, sem condições de se reerguer sozinho. Mas o homem tem necessidade da Luz, para clarear a escuridão da sua vida e para derreter o gelo que o envolve. Decidi então, ir sozinho em busca de respostas e soluções para seus problemas, seguindo caminhos tortuosos, que apresentam respostas rápidas, imediatas e confortantes, mas que não apresentam a Verdadeira solução, ao invés de recorrer ao remédio que a Misericórdia de Jesus nos preparou, através do sacramento da Reconciliação. Quando o homem levanta os olhos para o céu, abre seu coração e se entrega nos braços de Jesus, Deus se manifesta na sua vida, salvando-o da morte eterna consolando os que sofrem, amparando os fracos, levantando os caídos, convertendo os pecadores, curando os doentes, dando esperança aos desanimados. “Eu te arrebatarei da mão dos maus e te libertarei do poder dos violentos” – Jeremias 15,21. O sim a Deus e a conversão o salvam do abismo e o coloca em comunhão com seu Senhor. Deus liberta o homem da escravidão de Satanás e do pecado; purifica seu coração pela força do Seu amor; abre sua mente ao dom da Sua Palavra; cura sua alma com a paz do Seu Espírito e seu corpo com Sua Divina Imortalidade. “Aquele que pratica a verdade vem para a luz. Torna-se assim claro que as suas obras são feitas em Deus” – João 3,21. Que a fé seja a única luz que vos ilumine neste tempo de grande escuridão.
RENUNCIAR A NÓS MESMOS E SEGUIR CRISTO PELA CRUZ!
A porta que nos leva ao céu realmente é estreita em relação a que nos conduz ao inferno, parem para pensar e reflitam se não é verdade. E Jesus nos alerta para isso, pois a felicidade está naquilo que é eterno, e por isso, deve ser batalhado pra conseguir, ou seja, devemos ser provados a fogo (como diz a Palavra) pra sermos aptos a vida eterna. Em contra partida, a vida de pecado as portas estão escancaradas, nem precisa de convite a entrar praticamente, pois nós mesmos nas nossas fraquezas já adentramos e nos contaminamos iludidos pelas seduções de vida fácil, felicidade que julgávamos real e verdadeira, mas que no fim de tudo nada mais é do que a porta da perdição que Jesus nos alerta. As pessoas hoje em dia estão tão mal acostumadas no “bem e bom”, que de provação querem distância, e quando Deus prova essa pessoa, ela acaba por achar que está sofrendo injustamente saindo desse caminho estreito (de Deus) e entrando pela porta larga, do pecado, uma porta que nos leva a um caminho que não é de Deus. Mas não devemos desanimar de forma alguma, e devemos estar sempre firmes em Deus, construir nossa casa na rocha (em Deus), pois só com a graça do Divino Espírito Santo nos conseguiremos passar a prova, e passar pela porta estreita, e caminhar no caminho da salvação, no caminho da Santa Igreja que é Católica Apostólica Romana. Sempre encontraremos dificuldades, nunca prometeram facilidades na Igreja, cuidado com seduções que prometem o contrário disso. Os pecados e erros vão existir? Lógico que sim: “Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós” (1 João 1:8). Mas o texto continua dizendo que: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” (1 João 1:9,10). Pecaremos com certeza, teremos o perdão também com certeza, ao confessá-los verdadeiramente arrependidos, porém o pecado deve ser, em nossas vidas, inaceitável, simplesmente inaceitável. Qualquer outro padrão que aceite o pecado não faz parte da porta estreita, não conduz à salvação. O mundo é largo, porém a porta é estreita. O pecado é largo e fácil, a santidade em contrapartida é estreita e difícil, porém, com Deus totalmente possível. Tudo que não vem de Deus é vão e passageiro, por isso é largo, por isso é lixo; só Deus é tudo, só Deus na porta do nosso coração! Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada ao fogo. Assim, pelos seus frutos vocês os reconhecerão!
Equipe Padre Rodrigo Maria
Deslize para ver mais...

Veja Também:

HALLOWEEN: A FESTA DO INFERNO
HALLOWEEN: A FESTA DO INFERNO

HALLOWEEN: A FESTA DO INFERNO A aparente inocência e as quase insuspeitas travessuras da conhecida ”Festa das Bruxas”, escondem uma realidade por demais preocupante. Para os bruxos, satanistas e ocultistas em geral, se trata de uma festa ”sagrada”, de grande importância, onde se realizam vários rituais, que vão deste orações de louvor e invocações aos

QUARTA-FEIRA – DIA DEDICADO A SÃO JOSÉ
QUARTA-FEIRA – DIA DEDICADO A SÃO JOSÉ

SÃO JOSÉ ROGAI POR NÓS! Santa Teresa de Ávila (1515-1582), a primeira doutora da Igreja, a reformadora do Carmelo, disse: “Quem não achar mestre que lhe ensine a orar, tome São José por mestre e não errará o caminho”. E declarava que em todas as suas festas lhe fazia um pedido e que nunca deixou

“CAMPANHA DO PRECIOSÍSSIMO SANGUE”
“CAMPANHA DO PRECIOSÍSSIMO SANGUE”

“CAMPANHA DO PRECIOSISSIMO SANGUE” Clame o revestimento do Sangue por você, sua família e todas as suas causas. Julho, mês dedicado ao Preciosíssimo Sangue de Jesus. Queremos reforçar essa devoção tão salutar e poderosa e convidar você a clamar o Sangue de Jesus sobre sua casa e todas as suas causas. Não basta crermos no

O Sacerdote no altar, deve unir-se a Virgem Maria no Calvário
O Sacerdote no altar, deve unir-se a Virgem Maria no Calvário

Tu és o meu Filho e hoje te gerei (Sl 2,7) diz o Salmista, mas podemos colocar estas palavras nos lábios da Virgem Santíssima, que dirige-as continuamente ao seu Filho Jesus. O título de “corredentora” que é aplicado única e exclusivamente à Maria Santíssima alcança horizontes que vão além do que o entendimento humano pode alcançar,

SIM AO PENTECOSTES E NÃO AO PENTECOSTALISMO HERÉTICO!
SIM AO PENTECOSTES E NÃO AO PENTECOSTALISMO HERÉTICO!

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); EXAMINE TUDO E RETENHA O QUE É BOM! Às vezes, assalta-nos um mal-estar espiritual de acharmos que a nossa Igreja se enfraqueceu e que o fervor espiritual se entorpeceu; nesses momentos de dispersão e confusão, o perigo nos ronda e pode nos conduzir às tentações de abandonar a nossa fé para seguir um suposto caminho de revigoramento. No entanto, esse abandonar da fé genuína pode se dar com alguém que permanece dentro das estruturas visíveis da Igreja de Cristo; ou seja, como insinuava São João XXIII que a “fumaça do Inimigo havia adentrado à Igreja” e, provavelmente, aproveitando-se da sonolência de muitos se infiltrara trazendo a experiência falsa das coisas de Deus.

DOMINGO,DIA DO SENHOR
DOMINGO,DIA DO SENHOR

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Domingo é o Dia do Senhor! São João Maria Vianey dizia: “Um domingo sem Missa é uma semana sem Deus“. A nossa fé nos agrega numa grande família, que é a Igreja, onde colocamos em prática nossa fé. Na igreja recebemos o suporte necessário para crescer na formação humana, na espiritualidade e em todos os tesouros sacramentais para nossa salvação.

Qual idade e disposições ensinadas pela Igreja para que as crianças recebam os Sacramentos da Confissão e da Comunhão?
Qual idade e disposições ensinadas pela Igreja para que as crianças recebam os Sacramentos da Confissão e da Comunhão?

Gostaria de lembrar a doutrina da Igreja acerca da primeira comunhão das crianças feita na idade em que elas começam a ter o uso da razão, quer dizer, em torno dos sete anos. Relembrarei simplesmente as palavras de São Pio X em seu decreto Quam Singulari de 1910 – recomendo a todos que o leiam – em que

O amor que devemos ter pela cruz de Jesus.
O amor que devemos ter pela cruz de Jesus.

A tentação de apresentar um cristianismo sem cruz revela-se, aos poucos, decepcionante, porque é somente na cruz que se descobre o amor de Deus. A cruz possui um significado inegociável para o cristianismo. É somente por meio do Cristo crucificado que se pode compreender “o poder de Deus” – (1Cor 1, 24) e a sua ação salvífica

SOBRE A NECESSIDADE DE FUGIR DAS OCASIÕES DE PECADO.
SOBRE A NECESSIDADE DE FUGIR DAS OCASIÕES DE PECADO.

Um sem número de cristãos se perde por não querer evitar as ocasiões de pecado. Quantas almas lá no inferno não se lastimam e queixam: Infeliz de mim! Se tivesse evitado aquela ocasião, não estaria agora condenado por toda a eternidade! Falando aqui da ocasião de pecado, temos em vista a ocasião próxima, pois deve-se distinguir

Confissão: o início de uma fornalha de amor
Confissão: o início de uma fornalha de amor

Confissão: o início de uma fornalha de amor Deus criou o homem a sua imagem e semelhança (Gn 1,26). Sendo Deus perfeitíssimo, puro e santo, também nós, obras feitas por Suas mãos, deveríamos ser na medida que nos fosse possível. Sendo as coisas como deveriam ser, fica evidente que homem nenhum nasceu para se confessar