A EXISTÊNCIA DO DEMÔNIO

A EXISTÊNCIA DO DEMÔNIO

Declarou o Papa São Félix III: “Não se opor a um erro é aprová-lo. Não defender a verdade é suprimi-la”. Em uma recente entrevista ao jornal espanhol ‘El Mundo’, o Padre Arturo Sosa assinalou que “fizemos figuras simbólicas, como o diabo, para expressar o mal”. Recordemos, que o IV Concílio Ecumênico Lateranense, em 1215, declarou que nós cristãos “firmemente cremos e simplesmente confessamos” que Deus criou “do nada uma e outra criatura, espiritual e corporal, ou seja, a angelical e a mundana, e depois a humana”. “O diabo e os outros demônios”, e continua o texto conciliar: “por Deus, certamente foram criados bons por natureza; mas eles, por si mesmos se converteram em maus”.

Em 29 de junho de 1972, assinalou, Paulo VI, em sua homilia, afirmou ter a sensação de que, “por alguma fissura entrou a fumaça de Satanás no templo de Deus. Há a dúvida, a incerteza, os problemas, a inquietação, a insatisfação, o confronto”. Nesse mesmo ano, em 15 de novembro, Paulo VI advertiu que “uma das maiores necessidades da Igreja, é nos defender do Demônio”. Quando pedimos “livrai-nos do mal” na oração do Pai Nosso, assinalamos que nesta petição, o Mal não é uma abstração, mas designa uma pessoa, Satanás, o Maligno, o anjo que se opõe a Deus. O ‘Diabo’ (dia-bolos) é aquele que ‘se atravessa’ no desígnio de Deus e na sua obra de salvação realizada em Cristo. Disse certa vez o falecido Exorcista, padre Gabriele Amorth: “O demônio está instalado no coração da Igreja”. Essa frase, corrobora e confirma, as palavras de Paulo VI, que falou sobre a invasão da Fumaça de satanás. Para o exorcista, há sinais de que o Anticristo está vencendo a batalha contra a Santa Sé. De acordo com Amorth, as evidências são irrefutáveis. Ele ainda disse que, “na alta hierarquia Católica, há cardeais que não acreditam em Jesus, e bispos que estão ligados ao demônio”. Devemos lembrar as aparições da Virgem em Akita, no Japão, reconhecida pela Igreja, e seu conteúdo e aviso são similares à mensagem de Fátima. Nossa Senhora disse: “O Diabo se infiltrará até mesmo na Igreja de tal um modo que haverá cardeais contra cardeais, e bispos contra bispos. Serão desprezados os padres que me veneram e terão opositores em todos os lugares. Haverá vandalismo nas Igrejas e altares. A Igreja estará cercada de asseclas do demônio que conduzirá muitos padres a lhe consagrar a alma e abandonar o serviço do Senhor. O demônio especialmente dirigirá sua ira contra almas consagradas a Deus. O pensamento da perda de tantas almas é a causa de minha tristeza. Se os homens aumentarem ainda mais seus pecados em número e gravidade, já não haverá nenhum perdão para eles”. Fortes e contundentes palavras da Mãe de Deus. Muitos cristãos não acreditam no diabo, chegando a dizer que “Isso não é nada além de superstição”. Existe neste pensamento herético, uma certa “lógica”. Pois se “fecharam” as portas do inferno, dizendo e ensinando que ele não existe, seria lógico e conseguente, também dizer que o demônio é uma fábula, e que ele simplesmente não existe.

Não servirei!! Este odioso brado de revolta ― inspiração de todos os gritos de insubmissão da História ― fez-se ouvir no Céu. Era Lúcifer, o anjo que portava a luz. Tal era sua excelência que a Igreja aplica a ele as palavras de Ezequiel: “Tu és o selo de semelhança de Deus, cheio de sabedoria e perfeito na beleza; tu vivias nas delícias do paraíso de Deus e tudo foi empregado para realçar a tua formosura!” – (Ez 28, 12-12). Arrastando consigo a terça parte dos anjos, Lúcifer foi precipitado no inferno, tornando-se o príncipe das trevas. O mundo está sob ataque de Satanás, conforme Nosso Senhor disse que seria (1 Pedro 5: 8-14), e esta batalha está ocorrendo dentro da própria Igreja, e a devastação é muito evidente. Na Igreja, hoje, muitos Católicos estão perplexos, porque estão vendo e ouvindo coisas jamais vistas. Ouvimos vindo da Hierarquia da Igreja, frases que na boca de qualquer outra pessoa, seria considerado blasfêmia.

Até que ponto a fumaça de satanás penetrou no seio da Igreja? E até onde vai sua demolição?

 

Tudo se derruba à nossa volta, tudo se questiona, a fé católica está desfigurada e questionada e, quem tem a sagrada obrigação de nos confirmar na fé, nos ensina o erro, fala pensando na reação que terão suas palavras, em agradar aos homens, razão pela qual suavizam a palavra de Deus, ou simplesmente a calam e adulteram. Santa Francisca Romana (1384-1440), teve singulares, estupendas, e as mais estarrecedoras visões do inferno e de seus demônios. Ela descreveu o inferno, onde reina uma ordem às avessas, a desordem como o princípio constitutivo da anti-ordem de satanás: O que é uma pessoa passar uma hora com ouro ou prata derretidos e quentes dentro da garganta, sem anestésicos, sem os mil cuidados dos nossos hospitais? Então, imaginem o que é passar a eternidade com ouro e prata derretidos na garganta. Querer engolir e não poder, queimaduras horrorosas, sensações atrozes. Tudo isto foi mostrado à Santa Francisca Romana. Viu as hierarquias de demônios, suas funções, seus suplícios e os crimes a que eles presidem. Viu Lúcifer, consagrado ao orgulho, chefe geral dos orgulhosos, rei de todos os demônios e de todos os condenados. E Santa Francisca Romana relata: “Uma parte dos demônios fica no inferno; outra reside no ar e outra reside entre os homens, buscando a quem devorar. Os que ficam no inferno dão as suas ordens e enviam seus deputados; os que residem no ar agem fisicamente sobre as perturbações atmosféricas e telúricas, lançam por toda parte influências más, empestam o ar física e moralmente”, finaliza, mais uma vez confirmando sim, a existência do demônio. Os demônios sofrem terrivelmente vendo um ato público de virtude. Porque eles sofrem mais em ver o bem, do que em todos os tormentos do inferno. O homem que faz o bem, que vive e respeita os Mandamento e as Leis de Deus, que tem fidelidade à Sua Doutrina, ao Seu Magistério e aos seus ensinamentos, inflige ao demônio uma tortura tremenda. Devemos pedir a Santa Francisca Romana, que ela nos dê o suficiente discernimento para compreendermos quais ações são do demônio, para odiá-las e talhá-las logo que se iniciam. Muitas vezes o demônio se apresenta por vias indiretas, sugere-nos coisas que parecem insignificantes, uma pequena ideia fixa a respeito de uma ninharia. É a ação do demônio… E o que fazer nesta hora? Corta essas coisas no começo! Há um princípio de sabedoria que diz “principia obstat”, corte no começo! Vamos pedir que Santa Francisca Romana nos dê o discernimento de tudo isto, e nos faça compreender como o católico precisa estar preparado para lutar contra essa pluralidade de influências, ensinamentos e pensamentos nefastos. E nos previna contra uma doutrina errada, mas tão frequente, de que a tentação do demônio seja apenas uma superstição. Vamos pedir a Santa Francisca Romana que nos dê uma clara e lúcida visão dessas verdades.

Diz na Sagrada Escritura: “Na hora, porém, em que os homens repousavam, veio o seu inimigo, semeou joio no meio do trigo e partiu” – (São Mateus 13, 25). Ante o crescimento de um culto materialista, um culto ao homem no lugar de Deus, a entidades maternas pagãs, é preciso lembrar que a verdadeira mãe da humanidade, é aquela cujo fruto nos alimenta para a eternidade, a Santíssima Virgem Maria, mãe de Deus e nossa mãe. O dogma da maternidade divina de Maria está ligado a um artigo inegociável do credo cristão: a encarnação do Verbo. Na hora derradeira, Jesus entregou Sua mãe para toda a humanidade, na pessoa do apóstolo amado – (Jo 19, 25-26). Maria é, pois, a mãe que nos dá o verdadeiro alimento que salva: o pão vivo descido do céu. Infelizmente, assistimos a uma nova onda de paganismo, a qual tem minimizado a importância da fé cristã em nossa sociedade, para ressaltar os novos deuses dos tempos modernos. A maternidade de Maria é posta de lado — por vezes, até ridicularizada —, ao passo que a nova mãe do mundo, a Gaia, como dizem alguns, ganha o espaço que antes era da Mãe de Deus. Isso explica o porquê de as igrejas estarem vazias, na virada do ano, e as praias estarem cheias: as luzes efêmeras dos fogos de artifício têm mais valor que a Luz perene irradiada por Cristo. Uma sociedade materialista moldará deuses materialistas. Por isso, prefere-se cultuar a mãe que dá o alimento que passa, do que a Mãe que introduz na vida eterna. Mas esse culto à Mãe da Terra e ao mundo, longe de trazer libertação, prende o ser humano nos vícios da carne, nas paixões mundanas e no próprio egoísmo. O homem esquece-se de sua finalidade, que é o Céu, para concentrar esforços numa jornada sem propósito: este mundo mesmo “onde a ferrugem e as traças corroem” – (Mt 6, 19). Quantos têm desperdiçado este auxílio precioso por culpa ora de más teologias, ora do paganismo e das heresias que se propaga hoje em dia. É uma ótima oportunidade para redescobrirmos o valor da espiritualidade mariana, lembrando-nos dos pedidos que a Senhora fez à humanidade: oração e mortificação pela paz no mundo e pela salvação dos povos. Enquanto alguns fazem troça desses pedidos, os verdadeiros católicos, têm o dever de ecoar pelos quatro cantos da Terra a mensagem daquela cujo coração triunfará no último dia.

 

Equipe Padre Rodrigo Maria

Deslize para ver mais...

Veja Também:

SOBRE A NOSSA VIDA DE ORAÇÃO: QUEM NÃO REZA, SE CONDENA.
SOBRE A NOSSA VIDA DE ORAÇÃO: QUEM NÃO REZA, SE CONDENA.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Um bom cristão, pela manhã, assim que desperta, deve fazer o sinal da Cruz, e oferecer o coração a Deus, dizendo estas ou outras palavras semelhantes: “Meu Deus, eu vos dou o meu coração e a minha alma”. Ao levantar da cama e enquanto nos vestimos, deveríamos pensar que Deus está presente, que este dia pode ser o último da nossa vida; ademais, devemos levantar-nos e vestir-nos com toda a modéstia possível. A um bom cristão, apenas se tenha levantado e vestido, convém pôr-se na presença de Deus e ajoelhar-se, se pode, diante de alguma devota imagem, dizendo com devoção: “Eu Vos adoro, meu Deus, e Vos amo de todo o coração; dou-Vos graças por me terdes criado, feito cristão e conservado nesta noite; ofereço-Vos todas as minhas ações, e peço-Vos que neste dia me preserveis do pecado, e me livreis de todo o mal. Assim seja”.

A ILUSÃO DE NÃO MATAR E ROUBAR
A ILUSÃO DE NÃO MATAR E ROUBAR

Quantos de nós ao tocar em assuntos da sagrada religião com alguns de nossos amigos católicos não fomos alvejados por uma emaranhado de frases relativistas que, de certa forma, até nos ofendem… Mas por que, afinal de contas, é tão ofensivo ser católico de verdade, querer viver na graça de Deus e fazer um mínimo

POR QUANTO TEMPO JESUS ESTÁ PRESENTE NA EUCARISTIA DEPOIS DE TERMOS RECEBIDO A COMUNHÃO?
POR QUANTO TEMPO JESUS ESTÁ PRESENTE NA EUCARISTIA DEPOIS DE TERMOS RECEBIDO A COMUNHÃO?

“Temos de prestar o devido respeito a Nosso Senhor” O grande tesouro da Igreja Católica é a Eucaristia – o próprio Jesus escondido sob as aparências do pão e do vinho. Cremos, como diz o Catecismo, que “no sacramento mais abençoado da Eucaristia” o corpo e o sangue, juntamente com a alma e a divindade,

DO APEGO DESORDENADO AOS PARENTES. (Sto Afonso Maria de Ligório)
DO APEGO DESORDENADO AOS PARENTES. (Sto Afonso Maria de Ligório)

Aquele que se entrega a Deus já não se pertence. Deixa de existir aos seus próprios olhos, não vive em si mesmo, mas nAquele a quem se entregou, e não tem outros interesses a não ser os do Mestre. Esquecer-se de si próprio, por amor, eis a grande lei de toda a vida espiritual. Esquecer-se

QUINTA-FEIRA – DIA DEDICADO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO
QUINTA-FEIRA – DIA DEDICADO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); A igreja reservou a quinta-feira como o dia dedicado ao santíssimo sacramento este fato deve-se primeiramente a intuição da eucaristia: É o próprio sacrifício do Corpo e do Sangue de Jesus que Ele instituiu na Quinta-feira Santa, na noite em que ia ser entregue, quando celebrava com os seus Apóstolos a Última Ceia. “Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu-o e deu-lhe, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Do mesmo modo tomou também o cálice, depois de cear, dizendo: Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue, que é derramado por vós” (Lc 22, 19-20)

LEIA ONLINE: CATECISMO ESSENCIAL | Leitura obrigatória a todos os Católicos
LEIA ONLINE: CATECISMO ESSENCIAL | Leitura obrigatória a todos os Católicos

Catecismo Essencial Aguarde até o carregamento da página ser concluído completamente, pode demorar um pouco, ou então, clique aqui para baixar a versão em PDF (Clique com o botão direito do mouse, e escolha a opção “Salvar Como…” ou “salvar link como…”) É possível melhorar a navegação clicando sobre a imagem e, caso necessário, também é

UM SUÍCIDA ESTÁ CONDENADO?
UM SUÍCIDA ESTÁ CONDENADO?

Antigamente se pensava que sim, embora a Igreja nunca tenha ensinado isso oficialmente; pois ela nunca disse o nome de um condenado. Hoje, com a ajuda da psicologia e psiquiatria, sabemos que a culpa do suicida pode ser muito diminuída devido a seu estado de alma. O Catecismo da Igreja Católica ensina que: §2280 Cada

DOUTRINA CATÓLICA X DOUTRINA DA CNBB – CAPITALISMO, PROPRIEDADE PRIVADA E “JUSTIÇA SOCIAL”
DOUTRINA CATÓLICA X DOUTRINA DA CNBB – CAPITALISMO, PROPRIEDADE PRIVADA E “JUSTIÇA SOCIAL”

DOUTRINA CATÓLICA X DOUTRINA DA CNBB – CAPITALISMO, PROPRIEDADE PRIVADA E “JUSTIÇA SOCIAL” A CNBB (e os partidos de esquerda) ensina que: O capitalismo é mal pois gera “injustiça social”, exclusão, e faz acumular as riquezas nas mãos de poucos em detrimento de uma maioria explorada; que a propriedade privada é um obstáculo à “justiça

“CAMPANHA DO PRECIOSÍSSIMO SANGUE”
“CAMPANHA DO PRECIOSÍSSIMO SANGUE”

“CAMPANHA DO PRECIOSISSIMO SANGUE” Clame o revestimento do Sangue por você, sua família e todas as suas causas. Julho, mês dedicado ao Preciosíssimo Sangue de Jesus. Queremos reforçar essa devoção tão salutar e poderosa e convidar você a clamar o Sangue de Jesus sobre sua casa e todas as suas causas. Não basta crermos no

Oração para Comunhão Espiritual
Oração para Comunhão Espiritual

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); A Comunhão Espiritual é o caminho para as pessoas que não estão em estado de graça ou que por algum motivo não podem recebê-Lo sacramentalmente na Missa, ou quando estiverem em casa, no trabalho ou nas situações de dificuldade por que se passa na vida. Qualquer pessoa pode fazer a