Confissão: o início de uma fornalha de amor

Confissão: o início de uma fornalha de amor

Confissão: o início de uma fornalha de amor

Deus criou o homem a sua imagem e semelhança (Gn 1,26). Sendo Deus perfeitíssimo, puro e santo, também nós, obras feitas por Suas mãos, deveríamos ser na medida que nos fosse possível. Sendo as coisas como deveriam ser, fica evidente que homem nenhum nasceu para se confessar e, consequentemente, para pecar.

Existe uma linha tênue entre ser imagem e semelhança de Deus e querer ser Deus. Quando educamos a nossa consciência para verdades como esta, conseguimos compreender esta linha, que na verdade é um abismo de diferença. Quando entendemos que Deus nos fez a Sua imagem, contemplamos a grandeza de um Deus que se faz pequeno para nos educar, em contrapartida, quando fechamos os olhos para estas coisas, inflamos nosso ser ao mais alto dos céus, tentando usurpar de Deus o que lhe pertence e nos lançando ao mais profundo dos abismos. E, diga-se de passagem, quanto mais altos subimos, mais rápido caímos.

Entenda bem, caríssimo, não falo aqui da vida interior, onde quem não progride, recua, quem não sobe, desce e quem não anda, para. Falo aqui de algo muito simples e claro, sem necessidade de grandes formulações teológicas, falo sobre o nosso ser imagem e semelhança.

Sendo Deus uma explosão de amor, tornar-nos semelhantes a Ele, trata-se obviamente de sermos fagulhas de amor, que de pouco em pouco, são capazes de incendiar tudo se lhes derem as palhas certas. E é aqui que começa o problema, é aqui que a linha se rompe e o abismo se abre.

Quando nossos primeiros pais pecaram, imprimiram em nós a marca do egoísmo, do amor próprio exasperado e, de certa forma, da falta de amor. Então nós, que deveríamos ser explosões de amor como Deus o é, tornamo-nos apenas pequenas faíscas de isqueiro vazio. Só sabemos ofender quem deveríamos amar, ser ingratos com quem deveríamos agradecer, rejeitar aquilo que deveríamos aceitar e acolher aquilo que deveríamos recusar. Tudo que de nós provém é um nada, partícula de amor de próprio, vômito de pecado.

No entanto, Deus é bom. Deus, na verdade, é a bondade em essência e ato. E, dessa forma se fez carne, se reduziu ao nada, se humilhou, tornou-se escravo, escória e tudo aquilo que você, caro leitor, já sabe só para nos salvar. E o que fazemos para retribuir? Nada. Não sendo suficiente tudo isso, Ele quis imprimir em nós a marca indelével de seus filhos, batizando-nos em nome da Santíssima Trindade, tornando-nos seus herdeiros. E o que fazemos? Quando muito, somos o irmão do filho pródigo, que teve inveja da acolhida que teve seu irmão, o pecador. Sabemos que Deus não se deixa vencer em generosidade, por isso, não sendo suficiente tudo o que já fez por nós, deixou seus Cristos para nos perdoar, fazendo ecoar em cada recitação da fórmula de absolvição aquilo que disse a Madalena: Nem eu te condeno, vai e não tornes a pecar.

Perdoe-me por falar tanto e tantas coisas até aqui, mas tudo era necessário para fazer você entender uma coisa. Lembra que disse que nossas fagulhas de amor podem se tornar grandes chamas se soubermos usar as palhas certas? Pois é, este é o começo: confessar-se. Dessa forma, inicia-se em nós uma fornalha de amor. Reconhecemos quem somos, reconhecemos o que somos, reconheçamos o que seremos e hoje mesmo busquemos ser aquilo que Deus pensa de nós: sua imagem e semelhança. Confesse-se, viva na graça, ame- a Deus. Amanhã poderá ser tarde demais para amar de volta aquele que nos amou.

Equipe Padre Rodrigo Maria

Deslize para ver mais...

Veja Também:

MEDITAÇÕES QUARESMAIS | Roteiro de meditações e dicas de vida espiritual
MEDITAÇÕES QUARESMAIS | Roteiro de meditações e dicas de vida espiritual

Estas meditações nos apresentam algumas dicas sobre como vivenciar melhor o tempo quaresmal. Durante algumas semanas da Quaresma será oferecido um roteiro de meditações e dicas de vida espiritual para que possamos tirar maior proveito deste tempo tão importante para a Santa Igreja. Quarta-Feira de Cinzas: QUARESMA – Tempo de Jejum e Penitência Primeira Semana:

UM SUÍCIDA ESTÁ CONDENADO?
UM SUÍCIDA ESTÁ CONDENADO?

Antigamente se pensava que sim, embora a Igreja nunca tenha ensinado isso oficialmente; pois ela nunca disse o nome de um condenado. Hoje, com a ajuda da psicologia e psiquiatria, sabemos que a culpa do suicida pode ser muito diminuída devido a seu estado de alma. O Catecismo da Igreja Católica ensina que: §2280 Cada

DOUTRINA CATÓLICA X DOUTRINA DA CNBB – CAPITALISMO, PROPRIEDADE PRIVADA E “JUSTIÇA SOCIAL”
DOUTRINA CATÓLICA X DOUTRINA DA CNBB – CAPITALISMO, PROPRIEDADE PRIVADA E “JUSTIÇA SOCIAL”

DOUTRINA CATÓLICA X DOUTRINA DA CNBB – CAPITALISMO, PROPRIEDADE PRIVADA E “JUSTIÇA SOCIAL” A CNBB (e os partidos de esquerda) ensina que: O capitalismo é mal pois gera “injustiça social”, exclusão, e faz acumular as riquezas nas mãos de poucos em detrimento de uma maioria explorada; que a propriedade privada é um obstáculo à “justiça

SEXTA-FEIRA – DIA DEDICADO A PAIXÃO DE NOSSO SENHOR
SEXTA-FEIRA – DIA DEDICADO A PAIXÃO DE NOSSO SENHOR

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Vamos começar nossa reflexão a partir das palavras que São João usa para sintetizar o que aconteceu na Última Ceia e na Paixão de Jesus: “Tendo amado os Seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” (Jo 13, 1). Sexta-feira, dia de silêncio e contemplação, dia de vivenciar o mistério da Paixão de Jesus Cristo. João relata a grande trajetória de Cristo no caminho da cruz, levada sobre os ombros com o peso dos pecados da humanidade. Jesus sabia o que iria acontecer com Ele, mas era preciso que cumprisse o que estava escrito nas Escrituras, dar a vida pelos nossos pecados.

Confissão: o início de uma fornalha de amor
Confissão: o início de uma fornalha de amor

Confissão: o início de uma fornalha de amor Deus criou o homem a sua imagem e semelhança (Gn 1,26). Sendo Deus perfeitíssimo, puro e santo, também nós, obras feitas por Suas mãos, deveríamos ser na medida que nos fosse possível. Sendo as coisas como deveriam ser, fica evidente que homem nenhum nasceu para se confessar

INDULGÊNCIA – A GRANDE MISERICÓRDIA DE DEUS DESCONHECIDA POR QUASE TODOS OS CRISTÃOS
INDULGÊNCIA – A GRANDE MISERICÓRDIA DE DEUS DESCONHECIDA POR QUASE TODOS OS CRISTÃOS

INDULGÊNCIA – A GRANDE MISERICÓRDIA DE DEUS DESCONHECIDA POR QUASE TODOS OS CRISTÃOS Clique acima para assistir ao vídeo do Padre Rodrigo Maria … Para lucrar uma INDULGÊNCIA PLENÁRIA é preciso preencher algumas condições condições: a) confissão sacramental – cada confissão vale para as indulgências obtidas até uns 15 dias antes e para as que

A BANALIZAÇÃO DA SAGRADA COMUNHÃO
A BANALIZAÇÃO DA SAGRADA COMUNHÃO

  A MUDANÇA DA PRÁXIS RELATIVA À RECEPÇÃO DA SAGRADA COMUNHÃO Por Padre José Eduardo Até o século XIX, os critérios para comungar eram doutrinalmente tão exigentes que, na prática, poucas pessoas comungavam. Considerava-se que, para além de uma preparação que eu chamaria de negativa — o fiel não deveria ter consciência de nenhum pecado

VACINA CONTRA AS SEITAS
VACINA CONTRA AS SEITAS

Uma seita (vem de sectário) é uma dissidência ou um grupo fechado que julga estar o mundo corrupto, e pretende ter a verdade como patrimônio seu e solução para todos os problemas da humanidade. Os membros das seitas são geralmente submetidos a um regime autoritário, imposto por um líder “iluminado”, que lhes dificulta o senso

[Sábado Santo] Que está acontecendo hoje? – A descida do Senhor à mansão dos mortos
[Sábado Santo] Que está acontecendo hoje? – A descida do Senhor à mansão dos mortos

De uma antiga Homilia no grande Sábado Santo (Séc. IV) A descida do Senhor à mansão dos mortos   Que está acontecendo hoje? Um grande silêncio reina sobre a terra. Um grande silêncio e uma grande solidão. Um grande silêncio, porque o Rei está dormindo; a terra estremeceu e ficou silenciosa, porque o Deus feito

O PROTESTANTISMO É O RESULTADO DAS HERESIAS DE LUTERO ESPALHADAS PELO MUNDO.
O PROTESTANTISMO É O RESULTADO DAS HERESIAS DE LUTERO ESPALHADAS PELO MUNDO.

O protestantismo teve início no século XVI e hoje existe sob a forma de milhares de denominações independentes uma das outras. Lutero era professor em Wittenberg, quando surgiu a questão das indulgências na Alemanha; e já havia a prevenção contra elas por causa de abusos de oficiais eclesiásticos. Lutero insurgiu-se contra o pregador das indulgências,