Estamos obrigados a amar os nossos inimigos?

Estamos obrigados a amar os nossos inimigos?

Compartilhe com seus amigos!

Sempre ao falarmos sobre os pecados graves, isto é, aqueles que nos tiram da graça de Deus, logo pensamos nos pecados contra a pureza, no descumprimento dos preceitos e na maioria das vezes esquecemo-nos que o maior dos mandamentos é o amor a Deus, ao próximo e a nós mesmos.

Mas no que consiste este amor? Atos interiores de benevolência e compaixão? Preces e súplicas por aqueles que amamos e também por aqueles que nos querem mal? Temos nós o direito de demonstrar mais estima e amor aqueles que nos querem bem e, de certa forma, ser menos benevolentes aos que nós querem mal?

Santo Afonso Maria de Ligório responde:

É certo que os inimigos devem de algum modo ser amados, já que são próximos. É a sentença de Santo Tomás e, com ele, comumente a de todos. Mas pergunta-se sobre o modo, e se pode-se ter ódio do inimigo. Respondo primeiro que qualquer homem, pelo menos o particular, é obrigado a exibir ao próximo, mesmo ao inimigo, sinais comuns de amor e benefício, por preceito. É obrigado a exibir sinais especiais, porém, apenas por conselho, a não ser que, de outra origem, surja uma razão de obrigação. Esta é a sentença comum que, com Laymann, procede de Santo Tomás. Digo sinais comuns, que são aqueles que, segundo Caetano, são devidos por um cristão a qualquer outro cristão em geral, a um cidadão por outro cidadão, a um parente por outro parente.

E consiste em pecado mortal negar estes benefícios aos nossos inimigos?

Negar estes sinais significa vingar uma injúria, o que não é lícito para nenhum particular.

E se não fazemos isso por amor desinteressado, por gratidão a Deus e reconhecimento de nossas misérias, afirma o Santo Doutor que tal gesto seria uma declaração externa de ódio:

Digo também, a não ser que de outra origem surja uma razão de obrigação, a qual seria, por exemplo, o temor do escândalo devido à omissão, a esperança da salvação do inimigo, uma necessidade temporal ou espiritual, a deprecação da culpa e a exibição de sinais especiais de amor. A razão é que, nestes casos, a negligência destes sinais especiais seria uma declaração externa de ódio.

Sobre as orações, convivência e benevolência acrescenta Afonso:

Não é lícito também excluir o inimigo das orações comuns, por exemplo, a oração do Pai Nosso, e aquelas que são instituídas em favor da comunidade, nem das esmolas comuns, das respostas às saudações, das respostas às perguntas, da venda das mercadorias expostas, porque todas estas coisas são sinais comuns de amor. Por isto agir contra isto, como por exemplo, convidar todos os parentes, ou todos os conhecidos das vizinhanças ou do colégio e saudá-los como de costume, excluindo somente ao inimigo, é regularmente em seu gênero pecado mortal.

Instruídos claramente pelo Santo Doutor Afonso de Ligório, examinemos nossa consciência e, antes da próxima comunhão, procuremos nos reconciliar com nossos próximos para dar o amor que devemos a eles, consequentemente amando a Deus que, por grande amor por nós, nós oferece seu perdão mesmo que o traíamos milhares de vezes.

Fonte: Teologia Moral, Livro II, Tratado III, Capítulo II, Dúvida II, Santo Afonso de Ligório.

Deslize para ver mais...

Veja Também:

SEXTA-FEIRA – DIA DEDICADO A PAIXÃO DE NOSSO SENHOR
SEXTA-FEIRA – DIA DEDICADO A PAIXÃO DE NOSSO SENHOR

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Vamos começar nossa reflexão a partir das palavras que São João usa para sintetizar o que aconteceu na Última Ceia e na Paixão de Jesus: “Tendo amado os Seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” (Jo 13, 1). Sexta-feira, dia de silêncio e contemplação, dia de vivenciar o mistério da Paixão de Jesus Cristo. João relata a grande trajetória de Cristo no caminho da cruz, levada sobre os ombros com o peso dos pecados da humanidade. Jesus sabia o que iria acontecer com Ele, mas era preciso que cumprisse o que estava escrito nas Escrituras, dar a vida pelos nossos pecados.

A Importância da Devoção dos Cinco Primeiros Sábados
A Importância da Devoção dos Cinco Primeiros Sábados

“Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração” A devoção dos Cinco Primeiros Sábados Na terceira aparição, em Fátima, a 13/7/1917, a SSma. Virgem anunciou que viria pedir a comunhão reparadora nos primeiros sábados”. Mais tarde, a 10/12/1925, quando a Irmã Lúcia já estava na Casa das Dorotéias, em Pontevedra, na Espanha,

Houve ou não houve, consagração do Brasil ao Imaculado Coração?
Houve ou não houve, consagração do Brasil ao Imaculado Coração?

Assista acima à cerimônia realizada hoje, 21 de maio. Houve ou não houve, consagração do Brasil ao Imaculado Coração? Precedido de muita comemoração e entusiasmo por parte dos católicos, o dia 21 de maio de 2019 tornou-se um marco para os cristãos do todo Brasil. Com a presença ilustríssima do Presidente da República, Sr. Jair

SIM AO PENTECOSTES E NÃO AO PENTECOSTALISMO HERÉTICO!
SIM AO PENTECOSTES E NÃO AO PENTECOSTALISMO HERÉTICO!

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); EXAMINE TUDO E RETENHA O QUE É BOM! Às vezes, assalta-nos um mal-estar espiritual de acharmos que a nossa Igreja se enfraqueceu e que o fervor espiritual se entorpeceu; nesses momentos de dispersão e confusão, o perigo nos ronda e pode nos conduzir às tentações de abandonar a nossa fé para seguir um suposto caminho de revigoramento. No entanto, esse abandonar da fé genuína pode se dar com alguém que permanece dentro das estruturas visíveis da Igreja de Cristo; ou seja, como insinuava São João XXIII que a “fumaça do Inimigo havia adentrado à Igreja” e, provavelmente, aproveitando-se da sonolência de muitos se infiltrara trazendo a experiência falsa das coisas de Deus.

Santo do Dia – 15 de Agosto – Solenidade da Assunção de Nossa Senhora
Santo do Dia – 15 de Agosto – Solenidade da Assunção de Nossa Senhora

SANTO DO DIA – 15 DE AGOSTO – ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA A festa da Assunção nos convida a meditar sobre a glória inefável da  Virgem Maria,  o Paraíso de Deus. Quanto mais o homem procura aprofundar-se no conhecimento de Deus, mais compreende que não conseguirá abarcá-Lo, tais as grandezas e os mistérios com os quais

A IOGA É UMA ATIVIDADE DEMONÍACA – (PE. Gabriele Amorth)
A IOGA É UMA ATIVIDADE DEMONÍACA – (PE. Gabriele Amorth)

Diversas religiões orientais têm sido introduzidas no Brasil, provocando interesse no público. O bloco mais denso provém da Índia. Traz duas notórias características: o panteísmo (tudo é divindade, e vice-versa) e o reencarnacionismo, doutrina ligada à anterior, pois se não há um Deus distinto do homem, é o homem mesmo quem se salva; se não o consegue numa encarnação, há

CAMPANHA DA FRATERNIDADE OU CAMPANHA PARA O PT?
CAMPANHA DA FRATERNIDADE OU CAMPANHA PARA O PT?

CAMPANHA DA FRATERNIDADE OU CAMPANHA PARA O PT? Se desde há muito as Campanhas da Fraternidade vêm sendo utilizadas para difundir a agenda da esquerda, o que está acontecendo neste ano de 2018 é algo verdadeiramente impressionante e escandaloso. A pretexto de combater a violência está se tentando enfiar goela abaixo dos católicos, em todo

A diferença entre Catolicismo e Espiritismo
A diferença entre Catolicismo e Espiritismo

Pode um cristão ser espírita ou umbandista? O espiritismo nega 40 verdades essenciais da doutrina cristã; ensina reencarnação; afirma a aparição dos espíritos do além, evocados pelos médiuns, e ensina muitas outras heresias opostas à doutrina cristã, negando principalmente o poder salvador de Jesus Cristo. Falando mesmo de Santos, de caridade, de oração e boas

Oração para Comunhão Espiritual
Oração para Comunhão Espiritual

A Comunhão Espiritual é o caminho para as pessoas que não estão em estado de graça ou que por algum motivo não podem recebê-Lo sacramentalmente na Missa, ou quando estiverem em casa, no trabalho ou nas situações de dificuldade por que se passa na vida. Qualquer pessoa pode fazer a Comunhão Espiritual, portanto. O que

A TRANQUILIDADE DOS PECADORES DENTRO DE NOSSAS IGREJAS
A TRANQUILIDADE DOS PECADORES DENTRO DE NOSSAS IGREJAS

A TRANQUILIDADE DOS PECADORES DENTRO DE NOSSAS IGREJAS São Paulo diz que a fé entra pelos ouvidos. E a conversão se dá com o acolhimento e adesão à Palavra de Deus. Só existe conversão sincera e verdadeira quando deixamos o pecado que nos separa de Deus e nos dispomos a obedecer os mandamentos seguindo o

Compartilhe com seus amigos!