Ser Pró-Vida é estar em favor da mulher também.

Ser Pró-Vida é estar em favor da mulher também.
Os abortistas acusam os pró-vida de que nós não nos preocupamos com a mulher e com a vida dela, apenas com o bebê que ainda não nasceu. Mas como sempre estão completamente equivocados, pois é justamente por também sabermos como são os métodos de realização do aborto, que nos preocupamos não só com a vida do bebê mas da mulher também. Direi abaixo as seguintes modalidades principais de métodos abortistas e suas consequências:

1) Aborto por envenenamento salino — Extrai-se o líquido amniótico de dentro da bolsa que protege o bebê; introduz-se uma longa agulha através do abdômen da mãe, até a bolsa amniótica, e injeta-se em seu lugar uma solução salina concentrada; o bebê ingere esta solução, que lhe causará a morte em 12 horas por envenenamento, desidratação, hemorragia do cérebro e de outros órgãos. A solução salina produz queimaduras graves na pele do bebê. Algumas horas mais tarde inicia-se “o parto”, e a mulher dá à luz um bebê morto ou moribundo, muitas vezes ainda com movimentos.
Consequências: – retenção da placenta e hemorragia (50% necessitam de curetagem).
As mesmas complicações que uma curetagem pode produzir, com o agravante de uma possível perfuração do útero e da formação de aderências;
– infecção e endometrite (inflamação da mucosa do útero);
– hemorragia;
– coagulopatia e hemorragia abundante;
– intoxicação por retenção de água; efeitos secundários do soro salino e da pituita que podem causar falhas de funcionamento do coração e morte;
– perigo de entrada de solução salina na corrente sanguínea da mãe com efeitos mortais;
– possibilidade de gravidez mais avançada do que a informada pela mãe e, na ausência de um exame sério, poderia abortar uma criança de 2 quilos ou 2 quilos e meio. Esse tipo de aborto apresenta um perigo dez vezes superior à curetagem. A mortalidade vai de 4 a 22 por mil.

2) Aborto por sucção — Insere-se no útero um tubo com uma ponta afiada. Uma forte sucção (28 vezes mais forte que a de um aspirador doméstico) despedaça o corpo do bebê que estava se desenvolvendo, assim como a placenta, e absorve “o produto da gravidez”. A placenta é um órgão localizado no útero e que estabelece, através do cordão umbilical, a 17 comunicação biológica entre a mãe e o filho. O crânio, que costuma não sair pelo tubo de sucção, é extraído por meio de uma pinça. Partes menores do corpo do bebê podem algumas vezes ser identificadas no material succionado. Quase 95% dos abortos, nos países desenvolvidos, são realizados desta forma.
Consequência: – insuficiência do colo uterino, favorecendo abortos sucessivos no primeiro e no segundo trimestre (10% das pacientes);
– partos prematuros, na 20ª ou 30ª semana de gestação.

3) Aborto por curetagem e dilatação — Neste método é utilizada uma cureta (tipo de faca, provida na sua ponta com uma colher de bordas afiadas), com a qual se vai cortando o bebê em pedaços para permitir a sua extração. Durante o segundo e terceiro trimestres da gestação, o bebê já é grande demais para ser extraído por sucção, então utiliza-se este método. A cureta é empregada para desmembrar o bebê, tirando-se em seguida os pedaços com ajuda de um fórceps para dilatar o colo uterino. Este método está se tornando mais usual.
Consequência: – infecção e obstrução das trompas, provocando esterilidade;
– intervenção para estancar a hemorragia produzida;
– perigo de lesão no intestino, na bexiga ou nas trompas;
– a artéria do útero, nesses casos, freqüentemente, é atingida, criando a necessidade de histerectomia (extirpação do útero), se não for possível estancar a hemorragia.

4) Aborto por “nascimento parcial” — Costuma ser designado como aborto por D&X, e é usado a partir da 32ª semana. Este é o método mais espantoso de todos. Costuma ser feito quando o bebê se encontra já muito próximo de seu nascimento. Depois de ter dilatado o colo uterino durante três dias, e guiando-se por ecografia, o executante do aborto introduz algumas pinças que agarram uma perninha do bebê, depois a outra, em seguida o corpo, até chegar aos ombros e braços. Assim se extrai parcialmente o corpo do bebê, como se este fosse nascer, deixando-se a cabeça dentro do útero. Como a cabeça é grande demais para ser extraída intacta, introduzem-se tesouras na base do crânio do bebê, ainda vivo, e com elas se abre um orifício que dá acesso ao interior do crânio. Então se insere um cateter para succionar o cérebro. Este procedimento faz com que o 18 bebê morra e sua cabeça desabe. Em seguida extrai-se o que resta do bebê, e lhe é cortada a placenta.
Consequências: Pode ocorrer que fique preso tornando-se necessária uma extração do útero.
– infecções graves por causa da presença de corpo estranho.

5) Aborto por operação cesárea ou histerotomia — Este método é exatamente igual a uma operação cesárea até o momento em que se corta o cordão umbilical; porém, em vez dar os devidos cuidados à criança extraída, deixa-se que ela morra. A cesárea, neste caso, não tem, pois, o objetivo de extrair a criança viva, mas sim de matá-la.
Consequência: Os mesmos perigos e complicações de toda cirurgia intra-abdominal: hemorragia, infecção, peritonite, lesões da bexiga e dos ureteres. Complicações variadas em 38 a 61 por mil.

6) Aborto com o uso de prostaglandinas — Esta droga provoca um parto prematuro em qualquer etapa da gravidez. É usado para produzir o aborto desde a metade da gravidez até suas últimas etapas. A principal “complicação” é que às vezes o bebê sai vivo… Também pode causar graves danos à mãe. Recentemente as prostaglandinas têm sido usadas com a RU-486, para aumentar a “eficácia” destas.

7) Aborto por pílula RU-486 — Trata-se de uma pílula abortiva — a RU-486 — empregada conjuntamente com uma prostaglandina, que é eficiente se for empregada entre a primeira e a terceira semana depois de faltar a primeira menstruação da mãe. Por este motivo é conhecida também como pílula do dia seguinte. Essa pílula age evitando que o embrião se instale no útero materno, matando-o de fome por privá-lo de um elemento vital, o hormônio progesterona. O aborto acontece depois de vários dias de dolorosas contrações

COMPLICAÇÕES TARDIAS DO ABORTO
1 – Insuficiência ou incapacidade do colo uterino.
2 – Aumento da taxa de nascimentos por cesariana (para permitir que o bebê consiga viver mesmo que prematuro).
3 – Danos causados às trompas por possível infecção pós-aborto, causando infertilidade (em 18 % das pacientes). Maior número de complicações em mulheres grávidas que anteriormente provocaram aborto (67,5% entre as que abortaram e 13,4 entre as que não abortaram).
Dentre todas as complicações, a mais grave é a hemorragia, que transforma a nova gravidez em gravidez de alto risco.
4 – O aborto pode provocar complicações placentárias novas (placenta prévia), tornando necessária uma cesariana, para salvar a vida da mãe e da criança.
5 – O aborto criou novas enfermidades: síndrome de ASHERMAN e complicações tardias, que poderão provocar necessidade de cesariana ou de histerectomia.
6 – Isoimunização em pacientes Rh negativo. Aumento, consequentemente, do número de gravidez de alto risco.
7 – Partos complicados. Aumento do percentual de abortos espontâneos nas pacientes que já abortaram.
Consequências psicológicas
a) Para a mãe:
– queda na autoestima pessoal pela destruição do próprio filho;
– frigidez (perda do desejo sexual);
– aversão ao marido ou ao amante;
– culpabilidade ou frustração de seu instinto materno;
– desordens nervosas, insônia, neuroses diversas;
– doenças psicossomáticas;
– depressões;
– Remorso o que pode levar a um suicídio;

O período da menopausa é um período crucial para a mulher que provocou aborto.
Portanto, quando se trata em estar a favor da mulher, não pode-se nunca pensar que o aborto seja uma instrumento para isto, visto o quadro apresentado acima, fica claro que o caminho deva ser outro! Longe de ficarmos só na teoria. Precisamos lutar em todos os campos possíveis, seja em Brasília, seja acompanhando, orientando e acolhendo gestantes em situação de vulnerabilidade social, é preciso por a mão na massa para proteger de fato a vida dos bebês e de suas mães até o fim.
Equipe Padre Rodrigo Maria
Deslize para ver mais...

Veja Também:

LEIA ONLINE: CATECISMO ESSENCIAL | Leitura obrigatória a todos os Católicos
LEIA ONLINE: CATECISMO ESSENCIAL | Leitura obrigatória a todos os Católicos

Catecismo Essencial Aguarde até o carregamento da página ser concluído completamente, pode demorar um pouco, ou então, clique aqui para baixar a versão em PDF (Clique com o botão direito do mouse, e escolha a opção “Salvar Como…” ou “salvar link como…”) É possível melhorar a navegação clicando sobre a imagem e, caso necessário, também é

DEPRESSÃO O MAL DO SÉCULO
DEPRESSÃO O MAL DO SÉCULO

Ela chega de mansinho, assim como quem não quer nada. Num dia, você acorda triste, desanimado. No outro, bate uma sensação de vazio e uma vontade incontrolável de chorar, sem qualquer motivo aparente. A depressão é assim, um mal silencioso e ainda mal compreendido – até mesmo entre os próprios pacientes. Considerada um transtorno mental afetivo,

OS 07 PECADOS CAPITAIS – Conhece-los para melhor os combater
OS 07 PECADOS CAPITAIS – Conhece-los para melhor os combater

OS 07 PECADOS CAPITAIS Os Sete Pecados Capitais são por muitos esquecidos, porém representam grande parte dos pecados cometidos atualmente. Portanto é muito importante para nós conhece-los para melhor os combater. Os sete pecados capitais denominam-se dessa forma por originarem outros pecados. No século IV, são Gregório Magno e são João Cassiano definiram-nos como sete:

[Sábado Santo] Que está acontecendo hoje? – A descida do Senhor à mansão dos mortos
[Sábado Santo] Que está acontecendo hoje? – A descida do Senhor à mansão dos mortos

De uma antiga Homilia no grande Sábado Santo (Séc. IV) A descida do Senhor à mansão dos mortos   Que está acontecendo hoje? Um grande silêncio reina sobre a terra. Um grande silêncio e uma grande solidão. Um grande silêncio, porque o Rei está dormindo; a terra estremeceu e ficou silenciosa, porque o Deus feito

Orientações acerca das Indulgências Plenárias
Orientações acerca das Indulgências Plenárias

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Escute o áudio do Padre Rodrigo Maria acerca de orientações para lucrar uma Indulgência Plenária: Clique acima para escutar o áudio do Padre Rodrigo Maria … Para lucrar uma INDULGÊNCIA PLENÁRIA é preciso preencher algumas condições condições: a) confissão sacramental – cada confissão vale para as indulgências obtidas até uns 15 dias antes e para as que serão obtidas até uns 15 dias depois de recebido o sacramento; b) comunhão eucarística – é necessária uma comunhão para cada indulgência; c) oração nas intenções do Sumo Pontífice – rezar para cada indulgência; d) exclusão de qualquer apego ao pecado, mesmo venial. Tenho que me confessar, comungar e rezar pelo Papa no mesmo dia? As três condições podem ser preenchidas em dias diversos, antes ou após a realização da obra prescrita; mas convém que a comunhão e a oração nas intenções do Soberano Pontífice se façam no mesmo dia em que se faz a obra. Quais as orações devo fazer pelas intenções do Santo Padre? A condição da oração nas intenções do Sumo Pontífice pode ser plenamente cumprida recitando em suas intenções um Pai-nosso e Ave-Maria; mas é facultado a todos os fiéis recitarem qualquer outra oração conforme sua piedade e devoção para com o Pontífice Romano. Também é muito importante ressaltar que, para lucrar qualquer indulgência plenária, é imprescindível que não tenhamos nenhum apego ao pecado, mesmo pecados veniais. Portanto, qualquer pessoa que se mantenha cometendo pecados com certa frequência, como vícios e outros tipos de pecados que se repetem, mesmo que sejam veniais, sem nem mesmo lutar para se afastar deles, não conseguirá lucrar uma indulgência plenária, apenas parcial. Veja também, nas imagens abaixo, duas páginas do catecismo essencial com ensinamentos acerca das indulgências parciais e plenárias: Lembrando possível lucrar uma indulgência plenária por dia, veja os ensinamentos da igreja, e procure se esforçar para lucrá-las. (utilize as setas sobre a imagem para avançar para a próxima página) Assista ao vídeo do Padre Rodrigo Maria sobre Indulgências: https://www.youtube.com/watch?v=z5XzsE_MQk8 O que é indulgência plenária? A doutrina e o uso das indulgências na Igreja Católica há vários séculos encontram sólido apoio na Revelação divina, e vem dos Apóstolos. “Indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida aos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel, devidamente disposto e em certas e determinadas condições, alcança por meio da Igreja, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, com autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos”. (Norma 1 do Manual das Indulgências).

A TRANQUILIDADE DOS PECADORES DENTRO DE NOSSAS IGREJAS
A TRANQUILIDADE DOS PECADORES DENTRO DE NOSSAS IGREJAS

A TRANQUILIDADE DOS PECADORES DENTRO DE NOSSAS IGREJAS São Paulo diz que a fé entra pelos ouvidos. E a conversão se dá com o acolhimento e adesão à Palavra de Deus. Só existe conversão sincera e verdadeira quando deixamos o pecado que nos separa de Deus e nos dispomos a obedecer os mandamentos seguindo o

SEXTA-FEIRA – DIA DEDICADO A PAIXÃO DE NOSSO SENHOR
SEXTA-FEIRA – DIA DEDICADO A PAIXÃO DE NOSSO SENHOR

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Vamos começar nossa reflexão a partir das palavras que São João usa para sintetizar o que aconteceu na Última Ceia e na Paixão de Jesus: “Tendo amado os Seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” (Jo 13, 1). Sexta-feira, dia de silêncio e contemplação, dia de vivenciar o mistério da Paixão de Jesus Cristo. João relata a grande trajetória de Cristo no caminho da cruz, levada sobre os ombros com o peso dos pecados da humanidade. Jesus sabia o que iria acontecer com Ele, mas era preciso que cumprisse o que estava escrito nas Escrituras, dar a vida pelos nossos pecados.

A VISÃO DO INFERNO, MOSTRADA AOS PASTORINHOS
A VISÃO DO INFERNO, MOSTRADA AOS PASTORINHOS

A VISÃO DO INFERNO, MOSTRADA AOS PASTORINHOS Das memórias da irmã Lúcia: “Momentos depois de termos chegado à Cova de Iria, junto da carrasqueira, entre numerosa multidão de povo, estando a rezar o terço, vimos o reflexo da costumada luz e, em seguida, Nossa Senhora sobre a carrasqueira. – Vossemecê que me quer? – perguntei.

POR QUE NÃO SOU PROTESTANTE?
POR QUE NÃO SOU PROTESTANTE?

Por que não sou protestante? São sete as razões principais pelas quais não sou protestante: 1. Somente a Bíblia… Os protestantes afirmam que seguem a Bíblia como norma de fé. Acontece, porém, que a Bíblia utilizada por todos os protestantes é uma só; em português, vem a ser a tradução de Ferreira de Almeida. Por

Confissão: o início de uma fornalha de amor
Confissão: o início de uma fornalha de amor

Confissão: o início de uma fornalha de amor Deus criou o homem a sua imagem e semelhança (Gn 1,26). Sendo Deus perfeitíssimo, puro e santo, também nós, obras feitas por Suas mãos, deveríamos ser na medida que nos fosse possível. Sendo as coisas como deveriam ser, fica evidente que homem nenhum nasceu para se confessar